Beto Carrero

Conheça a nova atração do Beto Carrero - HOT WHEELS EPIC SHOW!, Link URL and Text.

Mais detalhes

Viaje para Florida e conheça a Disney e Universal

Conte comigo para planeja mais este sonho. Leia aqui tudo o que você precisa saber antes de ir.

Leia mais

Cruzeiros pelo Brasil e pelo Mundo.

Dicas para o marinheiro de primeira viagem.

Leia Mais

QUANTO GASTAR NUMA VIAGEM A EUROPA

No Comments

Essa também é uma das perguntas mais feitas pelos meus clientes. Confesso que muitas vezes eu respondo com outra pergunta: quanto você pretende gastar? É bom para mim, para que eu possa montar um roteiro mais adequado às suas necessidades/ possibilidades, é é bom para o viajante também ir entrando na “vibe” da viagem!
Numa conta muito rapida ,e bem superficial costumo calcular os seguintes gastos DIÁRIOS:

-100 euros para hospedagem (esse valor é ja considerando um hotel confortável, bem localizado e varia muito de cidade para cidade)
-20 euros para alimentação (também pode variar bastante)
-10 euros com transporte
-10 euros para lazer
-10 para outros (itens de higiene, de uso pessoal, etc)
Mas como sempre faço questão de frisar tudo vai depender do tipo de experiência que a pessoa deseja ter. São muitos os pormenores que envolvem os gastos de uma viagem. Vai destinado a compra (embora na maioria das vezes esse não seja o caso da Europa,). Quer fazer um tour gastronômico? Vá preparando o bolso, pois a alimentação pode representar boa parte de seus gastos em paÍses como a França e Itália por exemplo. Já em Londres pode-se gastar bastante com atrações turisticas. Minha dica é: procure o equÍlibrio, como tudo na vida, aliás: exagerou num dia, procure compensar em outro. Em qualquer lugar do mundo sempre irão existir opções mais extravagantes e outras mais em conta.
VEJA MAIS EM: QUAIS AS CIDADES DO MUNDO MAIS CARAS (E TAMBÉM AS MAIS BARATAS)

Cartão, Dinheiro ou Cartão Pré Pago? Qual a melhor opção?

Procuro listar pros e contras de cada um. No final vai depender do que e como você deseja administrar seus gastos.
No cartão de credito você está sujeito a variação cambial dependendo da data de fechamento do seu cartão,Se o real desvaloriza nesse meio tempo você pode ter surpresas desagradáveis. No entanto, gera milhas que podem ser revertidas até em passagens para uma próxima viagem. Ah! Não esqueça de habilitar seu cartão (que deve ser obrigatoriamente internacional) antes de viajar. Isso deve ser feito através da administradora/banco emissor do seu cartão. É importante que você mencione a data de sua viagem para que não haja surpresas desagradáveis durante sua estadia, como cartão negado ou bloqueado.
No caso do cartão pré pago (tipo VTM) você também paga os 6,38 % de IOF que é cobrado no momento da carga ou recarga de moeda. A cotação que vale é a do momento da compra. Não há tarifas para gastos no comércio, mas há tarifas para saque em caixa eletrônico (US$ 2,50 por operação, mais as taxas do uso do equipamento, que variam de rede para rede). O cartão pode ser recarregado à distância, por internet banking (em dias úteis, durante o horário de funcionamento do mercado de câmbio no Brasil). A vantagem é que se precisar de dinheiro vivo no meio da viagem, você pode sacar o valor, sendo mais seguro do que levar uma quantidade grande de dinheiro pra lá e pra cá. Mas é bom saber se para onde você vai há bancos próximos onde esse serviço possa ser feito.
Dica importante em relação a cartões pré-pagos: carregue-o sempre na moeda corrente no país que irá visitar. Assim você não terá perdas cambiais.
No caso de dinheiro vivo foge-se do IOF e taxas extras. Porém, atenção a onde trocar sua moeda. Evite casas de câmbio de aeroportos e próximas a atrações turísticas; por motivos óbvios oferecem as piores cotações. Nos fins de semana também a cotação baixa; troque o estritamente necessário. No caso específico da Europa, descubra as agências de banco que têm setor de câmbio; elas oferecem cotações mais vantajosas que as casas de câmbio.
A minha indicação de modo geral é: leve METADE do que pretende gastar em dinheiro vivo, com Euros já convertidos ( há muitas casas de câmbio boas aqui no Brasil que indico) e a outra metade em cartão de credito. Também indico que reserve uma pequena parte adquirindo um VTM(cartão pre pago, devido a facilidade de fazer remessa ao exterior caso haja algum imprevisto durante a viagem. Um parente próximo pode ficar avisado dessa missão caso seja necessário.

Categories: Destinos, Planejamento

VISITANDO MUSEUS NA EUROPA E NOVA YORK SEM FILA

No Comments

Dependendo da época da sua visita a alguns lugares, como museus e outras atrações turísticas pode-se levar horas e horas somente em filas. Existem algumas dicas pra não passar por isso listadas abaixo:
-Paris e Versalhes Existe um passe, vendidos em lugares como a Fnac por exemplo, chamado Paris Museum Pass, que custa entre €48 e €74, e dá direito a 2, 4 ou 6 dias consecutivos de acesso a praticamente todos os museus importantes, com entradas exclusivas e sem filas nos mais disputados (em Versalhes a fila da bilheteria pode chegar duas horas, mas ainda precisa passar pela fila do raio-X). Para a Torre Eiffel compre sua entrada através da internet. Há lotes com hora marcada disponíveis na bilheteria online, tanto para o segundo andar quanto para o topo.

-Roma: o Roma Pass, a €28 (valido por 48 hs) e €38,50 (por 3 dias) vendido também nos postos de turismo. Com ele você visita o Coliseu sem filas intermináveis e otimiza seu roteiro. Para visitação ao Vaticano o ingresso custa €16, e a taxa de reserva, €4; comprando pelo site oficial.


-Florença e Pisa: mais uma vez a opção da internet ajuda, através de paginas de museus da Galleria Uffizi e Accademia. São €8 pelo ingresso e €4 pela reserva. A Torre de Pisa também vende parte dos ingressos com antecedência online a 18.


-Milão: Os ingressos são vendidos pelo Cenacolo Vinciano. A reserva online é obrigatória mesmo para o primeiro domingo do mês quando a entrada é gratuita. Nos outros dias o valor é de €10, mais 2 de taxa de reserva .

-Granada: Em Alhambra o número de visitantes é limitado por dia. É preciso reservar um turno para a visita e conhecer os palácios Nazaríes.


Berlim: As opções são simples de usar. O Berlin WelcomeCard tem versões que variam na duração e área de abrangência e inclui transporte público ilimitado e desconto em atrações (o de 72 hs custa €44). O Berlin CityTour Card se assemelha ao primeiro, mas pode ser ainda mais interessante para quem não está a fim de visitar os museus. Sai a €24,70 o bilhete de 72 hs e inclui as zonas ABC. Quem tem dias sobrando na capital alemã, o Berlin Museum Pass a €24. As visitações ao Bundestag, (Parlamento Alemão) costumam formar filas imensas e tem reserva com hora marcada obrigatória, que só pode ser feita online. A confirmação vem por email e a visita continua gratuita.


-Lisboa: Lisboa card (uso ilimitado de transporte publico e entrada gratuita e sem fila em vários monumentos importantes, como o Mosteiro dos Jerônimos e o Arco da Rua Augusta (além de descontos em diversos outros), ajuda a ganhar tempo e dinheiro; o passe de 24hs custa €18,50; o de 48 hs, €31,50 e o de 72hs, €39 (o mais recomendável).


-Viena: Vienna Card, que sai por € 21,90 a versão de 48 hs e €24,90 a de 72 hs é aconselhável a quem quer descontos em museus atrações e lojas. Já o Sissi ticket são bem econômicos pra quem visita a cidade e para quem quer fugir de filas como nos palácios Hofburg e do Schönbrunn, mas ainda precisa circular de transporte público pela cidade.


Amsterdã: O Amsterdam City Card, não poupa o turista de passar pela bilheteria, pois o cartão magnético tem que passar no leitor e só depois a entrada é impressa. Caso não use o passe, vale a pena comprar ingresso para o museu Van Gogh online a €17. Já a atração com a maior fila de Amsterdã, a Casa-Museu de Anne Frank, não está coberta pelo passe, compre seu ingresso pela rede com alguns dias de antecedência a €9 mais taxa de reserva de €0,50.


-Londres: Todos os museus têm visitas gratuitas, com urnas para fazer doações, mas nada obrigatório. E por incrível que pareça, o efeito colateral disto é que não há filas para nenhuma exibição permanente. É chegar e entrar.Já as outras atrações não gratuitas podem ser bem caras, e em libras. Para subir a London Eye (roda gigante famosa inglesa) compre seu “cartão de embarque” com antecedência; por £ 22,45 você vai direto para a fila normal de embarque sem passar pela bilheteria, e já no horário do seu “vôo”, e por £31,45 pega a “fast track”, uma fila expressa vip. Se estiver com crianças, pode comprar um pacote combinando a roda gigante com o Aquário (em frente), o museu de cera de Madame Tusseau, o London Dungeon e outras atrações. Outra fila enorme da cidade é em frente à Torre de Londres e pode ser evitada com um London Pass, a partir de £62 conforme a quantidade de dias que oferece e dá direito a outras atrações, como Westminster e o Castelo de Windsor. (Faça as contas antes de comprar; este é um passe que só vale a pena se você fizer uma programação bastante intensa) Se for a Londres em agosto ou setembro, pode aproveitar para visitar os salões do Palácio de Buckingham, que só são abertos nesta época.


-Atenas: o novo Museu da Acrópole vende ingressos com hora marcada pela internet. reserva pela rede online do Museu da Acrópole.

-Nova York: Uma das filas é inescapável que é a da segurança para entrada no Empire State Building. Já as outras são evitáveis: comprando online a US$ 34. Por US$ 60, você tem acesso ao deck principal (no 86º andar) e é poupado também da fila do elevador, que costuma ser enorme. Por US$ 54 (ou US$ 80 para não pegar a fila do elevador), você tem acesso ao deck principal e ao observatório no 102º andar . Se quiser evitar totalmente a confusão do Empire State, pode ir a seu maior concorrente, o Top of the Rock, que não é tão alto mas proporciona uma vista linda do Central Park (e é o único mirante do qual é possivel enxergar o próprio Empire State). O ingresso para entrada sem fila custa US$34. o New York City Pass custa em torno de U$109 para 9 dias e 6 atrações, como o Moma, Museu de Historia Natural, Metropolitan, ou escolher entre o Guggenheim ou Top of the Rock. Se quiser passear até a Estatua da Liberdade sem subir ate a coroa ou fazer um Cruzeiro pela Circle Line terá que escolher entre uma das atrações na hora da compra do cupom. Você terá que trocar o recibo por um booklet de cupons em uma das atrações, só não deixe para fazer isso nas mais cheias como Empire State ou Estatua da Liberdade, devido as filas. Já o New York Pass de uma semana custa US$ 200 (o de três dias US$ 150; o de um dia, US$ 85). Você pode visitar 80 atrações. É bastante coisa, porem o passe não livra você da fila, pois os cupons funcionam como vouchers (entra na fila da bilheteria e troca o voucher pelo ticket de entrada).

Categories: Destinos, Planejamento

MONTANDO UM ROTEIRO PARA A EUROPA

No Comments

Muitas pessoas me perguntam, principalmente aqueles que vão pela primeira vez, quantos dias devem disponibilizar para ir a Europa. Vamos por partes. A Europa é um continente ENORME e cheio de possibilidades. Países incríveis e lugares cheios de cultura e historia para serem explorados. Normalmente aconselho aos meus clientes que possam conhecer bem as características de cada lugar, e caso não tenham tempo de ir a um outro país mais distante, que deixem pra uma próxima oportunidade. Melhor voltar de viagem pensando em retornar em busca de novidades do que se arrepender de ter visitado rapidamente uma determinada cidade ou não te-lo aproveitado o suficiente. #tempoegranadisperdiçados
Deve-se levar em consideração, coisas aparentemente rápidas, como check in e check out, o deslocamento do aeroporto até o hotel e entre as cidades a serem visitadas, o processo de arrumação das malas… Dependendo da sua habilidade e potencial organizador, isso pode levar um tempinho!
Costumo sugerir que o cliente divida o tempo de viagem em módulos, permanecendo na cidade grande por toda a duração do módulo. Indico 3 dias para as grandes metrópoles (Roma, Londres, Lisboa, Florença) e as menores como Amsterdam, Veneza, Porto, Madri e Barcelona 2 dias. Porém Paris é uma exceção, e sugiro pelo menos 7 dias. (Na realidade Londres também se encaixaria nessa categoria,porem é uma cidade cara. Desse modo se quiser economizar, 3 dias na capital inglesa são suficientes.
Também é importante definir o deslocamento interno: carro; trem; avião. O carro considero valido quando há mais de uma pessoa viajando e querendo fazer pequenos pit stops entre as cidades. Já o trem pode ser uma boa para um bate e volta. Existem bilhetes de trem que podem ser comprados na própria estação que fazem determinados deslocamentos curtos; é o caso de Madri – Toledo.
Outros exemplos de bate volta são: Lisboa + Cintra + Cascais + Estoril; Bruxelas + Bruges;
Avião indico em ultimo caso, (pulando países por exemplo) pois apesar dos voos serem de modo geral curtos, há todo o processo de ida/volta ao aeroporto (lembre-se que aeroportos são costumeiramente longe dos grandes centros), espera da bagagem, check ins, etc.
Em relação a passagem aérea é interessante que a você possa entrar por um pais e sair por um outro, otimizando tempo e grana. Costumo conseguir dentro de um mesmo bilhete que a pessoa otimize tempo e grana.
CLIQUE AQUI E PEÇA INFORMAÇÕES SOBRE COMO ECONOMIZAR COM SUA PASSAGEM AÉREA

Categories: Destinos

10 MOTIVOS PARA VISITAR A AUSTRÁLIA

No Comments

 

O país passou há um tempo um destino um pouco mais procurado pelos brasileiros. É um lugar muito seguro para se viajar, seja sozinho ou acompanhado, inclusive para mulheres que viajam sozinhas. Os australianos são um povo alegre e receptivo. Na cidade mais populosa do pais, Sydney, o surf vai muito além de uma atividade física. É um estilo de vida que determina muitas vezes onde a família vai morar, e se vê gerações surfando juntas! As casas são grandes e os quintais imensos. A natação é outra paixão australiana: além de praticada nas piscinas fechadas, é um hábito nadar no mar ou nas piscinas de água salgada em algumas praias. Cedo da manhã, inverno ou verão, essas piscinas estão cheias! E a água não é aquecida! Também pratica-se uma imensidade de esportes, não por acaso a Austrália possui tantos atletas olímpicos, Em Melbourne acontecem o Grand Prix da Fórmula 1 e o Australian Open de tênis. Abaixo a paradisíaca ilha da Tasmânia e o Museu Opera House de Sidney.

 

1-Ponte da Baía de Sydney (Harbour Bridge)

Esse é um dos MUST-SEE da Austrália. A ponte bateu diversos recordes como o de maior ponte em arco feita de aço. Ela liga o centro financeiro de Sidney a costa norte residencial e comercial. Além disso, existem “mirantes” de dentro da ponte que podem ser visitados e de onde terá uma visão incrível de vários lugares da cidade, como por exemplo do Porto de Sydney. Fica ao lado de um imenso conjunto arquitetônico, que inclui o famoso Opera House, do skyline do centro da cidade, da baía e do lindo Royal Botanic Gardens. Programe uma tarde para tomar um drink no Ópera Bar ao pôr-do-sol e, se der sorte de conseguir ingresso para um bom espetáculo, no Opera House melhor ainda!

 

2- Zoológicos Australianos

O Jardim Zoológico Taronga possui mais de 340 espécies de animais. Por todo o país também existem zoológicos reunindo muitas espécies que só se encontra na Australia.

 

3- O inverno é lindo

O inverno começa em junho e justamente nessa época há o famoso Vivid Sydney, que não é nada mais nada menos que um festival focado em luzes. Os temas variam de ano para ano e é um verdadeiro espetáculo.

4- Estudantes são bem vindos

O país dá muito valor aos estudos, e as universidades australianas estão entre as melhores do mundo.Entre elas, as que fazem parte do Group of Eight ( A University of Western Australia, Monash University, The University of Sydney, The University of Melbourne, The Australian National University, The University of Adelaide, The University of New South Wales e The University of Queensland formam esse grupo) e as Universidades do ATN (Fazem parte dessa aliança a RMIT University, a University of South Australia, a University of Technology Sydney, a Curtin University e a Queensland University of Technology) A maioria delas é muito receptiva com estudantes do exterior. O país é um dos mais procurados por aqueles que desejam fazer intercâmbio.
SAIBA MAIS SOBRE INTERCAMBIOS AQUI

5- Clima de férias

Tudo é muito bem planejado na Austrália, e cerca de 90% da população mora em cidades litorâneas. O tempo é agradável, a natureza e o estilo de vida ao ar livre fará com que você aproveite as belezas que só esse país oferece. A atmosfera é super alegre e descontraída. Os australianos são conhecidos por serem relaxados, casuais, e certamente vão fazer você se sentir bem-vindo!

6- Grande Barreira de Corais

A Grande Barreira de Corais é constituída por 2.900 recifes individuais com cerca de 900 ilhas. É a maior estrutura de corais do mundo tanto que pode até mesmo ser vista do espaço! No meio disso tudo, os turistas podem se maravilhar com tais belezas naturais, desde maravilhosas paredes de corais, até avistar os peixes palhaços (clown fish, o NEMO). Mergulhar na Great Barrier Reef está na lista dos passeios imperdíveis na Austrália.

7- Gastronomia

A Austrália é o lar de alguns dos restaurantes mais interessantes, que oferecem produtos frescos e ingredientes nativos que você não vai encontrar em qualquer outro lugar do mundo.
Há uma liberdade e criatividade para criar, onde chefs abraçam a diversidade e uma rica história multicultural, complementado por uma cena de vinho que é ao mesmo tempo profunda em suas raízes e vigoroso no seu crescimento.
No Sul no país, existem regiões conhecidas por terem os melhores frutos do mar do mundo. Além disso, como a Austrália é um pais multicultural, pode-se encontrar restaurantes franceses e ingleses como muita facilidade . E você conhece aquele famoso restaurante chamado Outback, pois ele é especializado em culinária australiana.

 

8- Cultura aborígene

Desde 1995 a bandeira aborígene australiana e a bandeira dos nativos do Estreito de Torres são consideradas oficiais pelo governo. Alguns povos permaneceram com seus costumes e tem ajuda governamental para continuar assim. Existe toda uma mitologia acerca desses povos, alem de 700 dialetos no país. Atualmente existem cerca de 250 grupos espalhados pelo país pela periferia. Vale a pena aprender sobre a rica cultura aborigene.

9- Vale dos gigantes

Um dos principais pontos turísticos do país é o “Walpole-Nornalup National Park” com árvores que possuem mais de 400 anos de idade. Elas são simplesmente fantásticas , a paisagem é estonteante, mesmo por fotos. Através de pontes suspensas, você anda na altura das árvores e consegue ver tudo que tem direito…

10- Cangurus e outros animais

A Austrália acha que o canguru é tão importante que é um símbolo para seu país. Mas não é só os cangurus que encontramos nesse pais que tem mais 200.000 espécies em sua fauna. O famoso coala, que é muito mais pacífico que o canguru.

Categories: Destinos

TUDO PARA EMBARCAR (SEM MEDO) NUM CRUZEIRO

No Comments

Algumas pessoas me dizem que jamais embarcariam num navio seja por medo de enjoarem, ou de não gostarem da programação oferecida. Uma coisa posso afirmar:  é um dos tipos de viagem mais econômica que pode haver. Pense bem: quando você faz a compra de um Cruzeiro marítimo, está incluindo aí: deslocamentos,entre cidades, alimentação completa, alem de entretenimentos (shows, peças teatrais, entre outros) a questão do enjôo é muito subjetiva. Eu mesmo ja embarquei com minha avó na época com quase 80 anos morrendo de medo,  pois ela tinha labirintite, mas ela simplesmente me disse que foi um dos melhores passeios que ela já fez em toda sua vida! Já minha mãe que morre de medo de avião, se sentiu um peixe dentro da água! Aproveitou todas as opções que nosso navio oferecia e saiu de lá fazendo propaganda pra todas as amigas!

Se tem algum receio, comece escolhendo um mini cruzeiro. Pouco tempo, passeios curtos e cidades próximas. Acho pouco provável que não se agrade. Abaixo, uma listagem com dicas e algumas experiencias de viajantes maritimos (dados da ABREMAR)

De acordo com a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), a faixa etária entre 41 e 50 anos lidera a demanda de viagens marítimas. Mas quem pensa que cruzeiro é “programa de velho” está muito enganado. “Da primeira vez que eu fui, imaginei que fosse ser algo mais requintado e rígido, mas fiquei surpresa com a atmosfera jovial e despojada do navio”, conta Lia D’Amico, de 23 anos, que já fez três cruzeiros nacionais. “Existem muitas opções de cruzeiros no litoral brasileiro, onde é possível encontrar diferentes públicos a bordo”, explica Ricardo Amaral, diretor da Royal Caribbean. “No caso dos cruzeiros temáticos, uma tendência nacional, a programação diversificada atrai um tipo público específico com gostos e afinidades semelhantes.

Quanto tempo de viagem é o ideal?

Com o aumento da oferta, é possível encontrar viagens com as mais variadas durações. Uma das novidades da última temporada foram os mini cruzeiros, com apenas três noites a bordo. Essa é uma boa opção para quem não tem muito para gastar mas sempre sonhou com uma viagem de navio. De acordo com viajantes e profissionais do setor, um cruzeiro de uma semana é o ideal para quem quer curtir o navio por inteiro. Lia, que já fez cruzeiros de 3 e 7 dias, acha que é o suficiente para aproveitar. “Tem uma hora que cansa ficar o tempo todo dentro do navio. Por mais coisas que tenha para fazer lá dentro, uma hora enjoa ficar no mesmo lugar, ir ao mesmo restaurante, frequentar a mesma balada…”, justifica

Prepare-se para surpresas e decepções

Na hora de embarcar em um cruzeiro, é importante se informar sobre o navio e a companhia que vai levá-lo. Uma boa dica é procurar pessoas que tenham feito cruzeiros semelhantes ao que você pretende fazer, de preferência no mesmo navio. Se não conhecer ninguém que possa ajudar, vale tentar em grupos nas redes sociais como Facebook e Whatsaap, ou  procure seu Agente de viagens.  Mais do que conhecer a estrutura dos navios, tente saber mais sobre coisas práticas, como a dinâmica das atividades e refeições, o atendimento da tripulação e as características das acomodações.

De qualquer forma, esteja preparado para imprevistos. “No cruzeiro que eu fiz, o momento mais esperado era o desembarque para aproveitar a noite de Punta Del Este. Quando chegamos na cidade, fomos informados que a marina não tinha autorizado nossa descida por causa do mau tempo”, conta a estudante de Direito Beatriz Dias. “Só pudemos descer no dia seguinte e, mesmo assim, com atraso. Quando fechei a viagem não tinha ideia de que havia a possibilidade de não desembarcar na cidade”.

Outros imprevistos comuns envolvem os gastos no navio. “Os preços são um pouco caros, é preciso estar preparado para gastos com bebidas na piscina e na balada, porque quando você menos espera já gastou 50 dólares”, alerta a publicitária Lia D’Amico. “Já as compras são legais, porque os preços são baixos e existem muitos artigos importados, mas também não faz sentido ir em um cruzeiro só para comprar.” Quem já viajou, lembra também que é preciso ter muita paciência nos momentos de embarque e desembarque. “É ruim quando as paradas são somente de meio dia nas cidades. Como são muitas pessoas para descer e os barcos que levam à praia são pequenos, acaba sobrando pouco tempo para conhecer o local”, diz Maria Giani de Sousa, 46 anos, que já fez dois cruzeiros pelo Brasil com a família. “Outra coisa ruim é na hora de pegar as malas na saída. Mesmo com a organização por cor que as empresas fazem, é um momento muito confuso”, completa. Uma surpresa positiva para a maioria dos turistas são os enjoos. Ou melhor, a ausência deles. “O meu maior receio era enjoar e não aproveitar a viagem, mas tinha hora que eu até esquecia que estava em um navio”, conta Gabrielle Teco, de 25 anos, que fez um cruzeiro de 7 dias com a família.

Cada vez mais opções

Mesmo com todos os problemas e imprevistos, poucas são as pessoas que riscam esse tipo de viagem do caderninho. Pesquisas feitas pela Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar) mostram que os turistas encaram os cruzeiros como a “realização de um sonho”, o que ajuda a explicar o crescimento médio anual de 33% do segmento. De acordo com profissionais do meio, é possível crescer ainda mais, já que a infraestrutura portuária do país não é das melhores.

Quais sistemas de pensão existem nos cruzeiros brasileiros?

Todos os cruzeiros que passam pela costa brasileira oferecem o modelo de pensão “all inclusive”. Neste sistema, todas as refeições estão incluídas e, em alguns casos, até as bebidas alcoólicas podem ser consumidas sem que haja cobrança à parte. Mesmo sendo mais caros, os pacotes com sistema all inclusive são os preferidos pelos turistas brasileiros. Além de cômodo, ele diminui o risco de que o consumo dentro do navio saia do controle (lembre-se que, em grande parte dos casos, as compras no navio devem ser pagas em dólar), facilitando o planejamento da viagem. Se você não for um mago das finanças, vale a pena investir neste modelo. O mesmo vale para quem pretende viajar com crianças: incluir as refeições e bebidas no pacote faz com que a conta final seja bem menor.

Como são as refeições em um navio? Quantas existem por dia?

Em geral, os navios oferecem cinco refeições por dia: café-da-manhã, almoço, lanche, jantar e lanche da noite. Apesar dos navios terem sempre mais de uma opção de restaurante, alguns cruzeiros dividem os turistas em grupos e estabelecem onde e em que horário cada um deles vai fazer suas refeições, especialmente no jantar. No fim das contas, esse é o melhor sistema para garantir que todos possam sentar e comer com calma. Os cardápios dos cruzeiros são sempre bem elaborados. Alguns são temáticos, trazendo temperos da Ásia ou do Mediterrâneo, enquanto outros são mais adaptados ao paladar brasileiro. Independente do caso, sempre existe mais de uma opção de prato no menu, garantindo que até o mais exigente dos turistas possa aproveitar a gastronomia a bordo. No almoço e no jantar os pratos são servidos por garçons. No café-da-manhã, existem cruzeiros com serviço de buffet e cruzeiros com serviço de mesa – e alguns que oferecem as duas opções. Os lanches são sempre servidos em buffets, normalmente nos restaurantes próximos às piscinas e áreas de lazer. Fique ligado: por causa do tamanho e do número de passageiros, filas são comuns nos buffets dos navios. Conversar com o maître do restaurante para saber os horários mais tranquilos ajuda, mas esteja preparado. Nada pior do que se estressar durante as férias!

E se bater aquela vontade comer um sushi ou uma pizza?

De olho nos turistas mais exigentes, os navios oferecem as mais variadas opções gastronômicas. Algumas, no entanto, podem não estar incluídas no sistema all inclusive. Nesses casos, funcionam como restaurantes em terra: você paga o que come. Essas alternativas são boas para quem tiver uma folga no orçamento e quiser esbanjar um pouquinho, mas é possível passar a viagem sem uma visita a esses restaurantes – afinal, com tantas opções nos restaurantes que fazem parte do pacote, dificilmente você sentirá falta de alguma coisa!

Durante o dia, a rotina está garantida. Mas o que fazer à noite em uma viagem de navio? “O brasileiro é muito musical e visual. Normalmente não gosta de propostas muito rígidas. A flexibilização do horário, por exemplo, é uma coisa importante”, explica Ricardo Amaral, diretor da Royal Caribbean no Brasil. Na prática, as opções são muitas. Tantas que, em um cruzeiro de sete dias, você provavelmente não conseguirá conhecer todas.

Para dançar

Todo navio de grande porte possui pelo menos dois espaços para quem gosta de dançar, em geral uma “boate” e um salão com ritmos como bolero e tango. O primeiro, como é de se imaginar, é freqüentado por um público mais jovem, disposto a ficar a noite toda acordado ao som de música pop e eletrônica. O segundo atrai desde aqueles que gostam de dançar a dois até os que querem conversar em um ambiente musical.

Shows também são freqüentes nos salões de dança. Para saber quando (e onde) eles acontecem, o turista deve ficar de olho no informativo entregue todos as manhãs na cabine.

A cada temporada, as empresas se empenham em montar uma programação de lazer para agradar aos mais diferentes tipos de viajante. Espetáculos que unem teatro, música e dança são boas opções para os que preferem programas noturnos menos agitados. E para os que não colocam fé na qualidade das peças, saibam que não é raro encontrar artistas com experiência em grandes palcos do mundo nessas atrações, inclusive na organização da programação de entretenimento.

 

Diversão para as crianças

Todos os cruzeiros possuem equipes especializadas em divertir crianças de todas as idades, seja durante o dia ou a noite. Enquanto os menores podem se reunir com outras crianças na sala de recreação, os maiores participam de gincanas e atividades esportivas com os monitores, estimulando a integração – e dando um merecido descanso para os pais.

Se seus filhos não estão acostumados a ficar longe por muito tempo, nem tudo está perdido: durante todo o dia, atividades na piscina fazem com que eles se divirtam sem ir muito longe. De noite, leve-os aos espetáculos no teatro.

Cassino e compras

Você pode não dar muita bola para eles, mas acredite: para muitos, os cassinos são mais interessantes do que as paradas da viagem. Mesmo que apostar não seja o seu forte, vale a pena passear um pouco pelos luxuosos cassinos flutuantes.

Espalhadas pelo navio, as lojas oferecem de joias a chocolates aos viajantes. E o melhor: sem cobrar a taxa de imposto, o que as tornam verdadeiros “free shops” no meio do mar. É verdade que nem sempre os preços são convidativos, mas é possível achar algumas barganhas, basta procurar. Lembre-se que, como tudo no navio, os preços são em dólar.

Festas temáticas

A programação de lazer dos cruzeiros também inclui, todas as noites, concorridas festas temáticas. Elas são especialmente interessantes para quem gosta de socializar e conhecer novas pessoas!

Fonte: Turismo – iG @ http://turismo.ig.com.br/cruzeiros/cruzeiros-tudo-o-que-voce-precisa-sabe r-antes-de-embarcar/n1597215174851.html

Categories: Cruzeiros, Planejamento

QUAIS VACINAS TOMAR PARA VIAJAR AO EXTERIOR

No Comments

Confira no quadro abaixo as principais recomendações para alguns roteiros:

CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO OU PROFILAXIA 

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP é um documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional. A lista com os países que exigem o Certificado está disponível na internet no sítio da Organização Mundial de Saúde.

A partir do dia 17 de julho de 2017, o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) só será emitido para requerentes que comprovarem que viajarão ou realizarão conexão em algum dos países que exigem o certificado.

Essa medida tem como objetivo preservar o atendimento aos cidadãos brasileiros que, de fato, precisam do CIVP, uma vez que ele é necessário apenas aos viajantes com destino internacional a países que requerem a comprovação da aplicação da vacina contra a febre amarela.

Para que o cidadão possa obter o Certificado é necessário seguir os passos abaixo:

1º Passo – Tomar a vacina exigida. 

O interessado pode obter a vacina gratuitamente em um posto de saúde do SUS ou deve procurar os serviços de vacinação privados credenciados.

A vacina contra febre amarela deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, 10 (dez) dias antes da viagem.

2º Passo – Realizar o pré-cadastro no SISPAFRA.

Para agilizar a emissão do certificado, o interessado pode realizar um pré-cadastro no endereço http://www.anvisa.gov.br/viajante, clicar na opção “cadastrar novo” ou no link “cadastro”. Observação: para os Centros de Orientação do Viajante-COV onde o agendamento está disponível, o pré-cadastro é obrigatório.

3ª Passo – Comparecer ao estabelecimento que emitirá o CIVP.

Para a emissão do CIVP, é imprescindível a presença física do interessado uma vez que a emissão está condicionada à assinatura do viajante, conforme previsto na RDC nº 21 de 31/03/2008, inciso III do Art. 1º do Anexo II.

Recomenda-se entrar em contato diretamente com o Centro de Orientação mais próximo para saber precisamente o seu horário de funcionamento.

4ª Passo – Apresentar a documentação necessária para emissão do CIVP

O interessado deve apresentar o cartão nacional de vacinação e um documento de identidade original com foto.

O cartão deve estar preenchido corretamente com a data de administração, fabricante e lote da vacina, assinatura do profissional que realizou a aplicação e identificação da unidade de saúde onde ocorreu a aplicação da vacina.

São aceitos como documentos de identidade a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte, a Carteira de Motorista válida (CNH), entre outros documentos. A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 (dezoito) anos. Ressalta-se que crianças a partir de 9 (nove) meses já começam o esquema de vacinação. A população indígena que não possui documentação está dispensada da apresentação de documento de identidade.

Criança/adolescente menor de 18 anos

Não é necessária a presença da criança ou adolescente menor de 18 (dezoito) anos quando os pais ou responsáveis deste solicitarem a emissão do seu CIVP nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante.

Para casos em que a vacinação ou a profilaxia for contraindicada, o viajante deverá apresentar um Atestado Médico de Isenção de Vacinação, escrito em inglês ou francês.

Para facilitar, disponibilizamos o modelo de atestado de isenção. O atestado pode ser apresnetado em outro modelo, desde que contenha as mesmas informações.

As informações de atestados médicos contraindicando a vacinação podem ser inseridas no SISPAFRA para emissão do Certificado de Isenção de Vacinação. No entanto, é importante esclarecer que essa forma de documentação tem a mesma validade e reconhecimento internacional que o atestado realizado por um médico em inglês ou francês.

O Regulamento Sanitário Internacional – RSI estabelece que as autoridades de saúde devem considerar esse documento, porém poderão ainda ser aplicadas outras medidas de controle pelo país de destino, conforme estabelecido no Anexo 7 do RSI.

As contraindicações possíveis estão normatizadas pelo Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, conforme disposto abaixo:

FEBRE AMARELA

A vacina de febre amarela é contraindicada para os seguintes grupos:

 

  • Pacientes com imunodeficiência primária ou adquirida;
  • Indivíduos com imunossupressão secundária à doença ou terapias;
  • Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas);
  • Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da   doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe);
  • Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia;
  • Indivíduos que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina;
  • Indivíduos com reação alérgica grave ao ovo;
  • Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

Fonte: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28003-febre-amarela-brasil-adota-dose-unica-da-vacina-por-recomendacao-da-oms

Categories: Planejamento

SEGURANÇA NOS AEROPORTOS NO BRASIL E NO EXTERIOR (O QUE PODE OU NÃO LEVAR)

No Comments

NO BRASIL

A Anac acompanha a adoção das novas medidas e recomenda que os passageiros cheguem ao embarque com duas horas de antecedência

Desde 2016 novas medidas de segurança passaram a valer nos aeroportos brasileiros. Os procedimentos de inspeção abrangem revista de passageiros para o acesso às áreas restritas dos aeroportos (áreas de embarque, pista e aeronaves) e a inspeção de bagagens de mão.

Os novos procedimentos fazem parte de um padrão internacional de segurança. No Brasil, as normas fazem parte da norma 107 do Regulamento Brasileiro de Aviação Civil, editada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Conheça os detalhes dos novos procedimentos:

A revista física aleatória é aquela em que o passageiro é revistado por um Agente de Proteção da Aviação Civil (APAC) do mesmo sexo, independentemente do disparo do alarme do equipamento de Raios X. A revista poderá ocorrer em local público ou reservado, a critério do passageiro e dos APAC, e com presença de testemunha.

A retirada de computador portátil e de outros dispositivos eletrônicos do interior de malas e mochilas transportadas na bagagem de mão também será obrigatória na passagem pelo Raios X para voos domésticos. Atualmente, essa medida é adotada para voos internacionais.

A inspeção manual aleatória de pertences de mão no momento da passagem pelo equipamento de Raios X também poderá ser solicitada; nesse caso, os passageiros deverão abrir suas bagagens de mão para inspeção pelos APAC.

Período de adaptação

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) acompanha a adoção dos novos procedimentos de inspeção para voos domésticos neste primeiro dia de vigência das novas medidas. Foram observados impactos específicos em alguns terminais, com maior reflexo no aeroporto de Congonhas (SP). O órgão regulador está em contato com o operador aeroportuário a fim de identificar problemas e soluções a serem implementadas.

Recomendações

A Anac recomenda que os passageiros cheguem ao embarque com duas horas de antecedência e sugere a retirada antecipada de notebooks da bagagem de mão; assim como cintos, relógios e objetos metálicos antes da passagem pelo pórtico (Raios X). Os procedimentos colaboram com a celeridade do processo.

Fonte: http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2016/07/normas-de-seguranca-estao-mais-rigorosas-nos-aeroportos-do-pais

NO EXTERIOR

Novas Normas de Segurança nos Aeroportos Intrnacionais : 

Para protegê-lo contra a ameaça de explosivos líquidos, a União Européia (UE) adotou novas medidas de segurança que limitam a quantidade de líquidos com que pode passar através dos controles de segurança. Estas medidas aplicam-se a todos os passageiros com partida de aeroportos da UE, qualquer que seja o seu destino. Isto significa que nos controles de segurança você e a sua bagagem de mão serão inspecionados à procura de líquidos, para além de outros artigos proibidos. Contudo, as novas medidas de segurança não limitam os líquidos que possa comprar nas lojas localizadas depois de passar o ponto no qual lhe é pedido que mostre o seu cartão de embarque, ou a bordo de um avião operado por uma linha aérea da UE. As novas medidas de segurança estão em vigor desde o dia 6 de Novembro de 2006, em todos os aeroportos da UE, além dos da Noruega, Islândia e Suíça, até novo aviso.

Enquanto prepara a sua bagagem: 

Tenha presente que apenas lhe será permitido levar pequenas quantidades de líquidos na sua bagagem de mão. Estes líquidos devem estar em embalagens individuais com um máximo de 100 ml. de capacidade cada uma. Estas embalagens devem ser colocadas num saco plástico transparente com fecho auto-adesivo ou outro com capacidade não superior a 1 litro por passageiro.

No aeroporto:
Para ajudar o pessoal de segurança, deve-se:

*Apresentar todos os líquidos que leve ao pessoal de segurança para a sua inspeção no ponto de controle.
*Tirar o seu casaco/sobretudo, que será inspecionado em separado, enquanto passa o controle de segurança.
*Retirar os computadores portáteis e outros objetos eletrônicos grandes da sua bagagem de mão, que serão inspecionados em separado, enquanto passa o controle de segurança.

O que se consideram líquidos, de acordo com as novas normas:

*Água e outras bebidas, sopas, caldas, xaropes
*Cremes, loções e óleos
*Perfumes
*Sprays
*Gels, incluindo xampus e gel de banho
*Os conteúdos das embalagens pressurizadas, incluindo espuma de barbear e desodorizantes
*Pastas, incluindo pasta de dentes
*Misturas de sólido-líquido
*Rímel
*Qualquer outro objeto de consistência semelhante

O que alterou?
Pode:

Levar líquidos na sua bagagem no porão porque as novas medidas apenas afetam a bagagem de mão.
*Levar na sua bagagem de mão medicamentos e alimentos dietéticos, incluindo comida de bêbes, necessários para a sua utilização durante a viagem. Pode ser-lhe pedido que apresente prova de que são necessários.
*Comprar líquidos como bebidas e perfumes, quer seja numa loja de um aeroporto da UE que esteja situada depois de passado o ponto no qual deve mostrar o seu cartão de embarque, ou a bordo de um avião operado por uma linha aérea da UE. Se foram vendidos num saco especialmente selado, não o abra antes de passar pelo controle de segurança (caso contrário os conteúdos podem ser confiscados). Se fizer escala/transbordo num aeroporto da União Européia não abra o saco antes de passar pelo controle de segurança no último aeroporto de ligação.Estes líquidos são adicionais às quantidades que se podem levar no saco de plástico com fecho auto adesivo referido anteriormente.
Se tiver alguma dúvida, por favor pergunte à sua companhia aérea.

Categories: Planejamento

DICAS RÁPIDAS (CHECK LIST)

No Comments

DICAS RÁPIDAS DE COMO NÃO PASSAR PERRENGUES NAS SUAS VIAGENS!

Documentos
Com antecedência ao embarque, verifique a data de validade de seu passaporte e visto, inclusive os países que exigem vistos simples e de múltiplas entradas. É muito importante entender que a validade do passaporte, não tem nada a ver com a validade de vistos. Cuidado par não perder a viagem.

Sempre que viajar, leve cópia de sua documentação : passaporte, garantia de compra de traveller checks, cartão de crédito, carta de confirmação do curso, confirmação da acomodação, voucher do hotel, etc.

Brasileiros menores de 18 anos, embarcando para o exterior desacompanhados de seus pais ou com um deles apenas, precisam apresentar autorização de viagem desacompanhada com firma reconhecida ou autorização judicial. Em caso de morte de um deles, o atestado de óbito deverá ser anexado a esta autorização. Esta é uma exigência da Polícia Federal do Brasil.

Acomodação
Carregue consigo sempre, um cartão do hotel onde está hospedado. Você poderá se perder na cidade e não saber sequer o nome do hotel. Geralmente você pode adquirí-lo na recepção do mesmo ou em seu próprio quarto.

Normalmente é exigido a apresentação da confirmação da acomodação contratada (voucher) na chegada.

Seguro-saúde
Nunca viaje sem um plano de saúde com cobertura internacional (seguro de viagem). Agências de turismo e de intercâmbio oferecem este produto para todas as ocasiões. Verifique sempre como deverá proceder em caso de necessidade (telefone de contato, reembolso, etc.).

Caso necessite levar medicação restrita ou específica, sugere-se que a receita médica acompanhe a mesma, preferencialmente traduzida para o idioma do país de destino ou pelo menos em inglês

Aeroporto
Procure chegar ao aeroporto 3 horas antes do horário de embarque (4 horas durante períodos de alta estação). As companhias aéreas, principalmente as internacionais, fazem várias perguntas aos passageiros, para garantir a segurança e às vezes pede que sua bagagem seja aberta para fiscalização.

Reconfirme suas passagens com 72 horas de antecedência junto às companhias aéreas, para evitar imprevistos.

Bagagens danificadas devem ser reclamadas imediatamente a um funcionário da companhia aérea, antes de deixar o aeroporto.

Grávidas a 8 semanas do parto ou menos, precisam de atestado médico com autorização para viajar.

Todas as companhias aéreas dispõem de normas específicas de transporte de bagagem. Peso, tamanho e volume das mesmas diferem de companhia para companhia. Excesso de bagagem é taxado por quilo extra. Lembre-se de reservar alguns dólares para esta situação.

Pranchas de surf, bicicletas e equipamentos esportivos de grande porte são taxados no check-in e são considerados volumes extras, mesmo que você não esteja despachando mala alguma. O custo varia de acordo com a companhia aérea.

Reconfirme a franquia de bagagem das companhias aéreas, elas podem não serem as mesmas quando o roteiro incluir mais de um vôo.

Verifique o estado de suas malas. Caminhar em aeroportos pode ser um grande transtorno e esforço, se as mesmas não tiverem rodinhas ou se o aeroporto não oferecer carrinhos para o transporte (reserve algumas moedas ou dinheiro trocado, pois nestes casos o uso do carrinho pode ser pago).

Transporte de alimentos perecíveis, remédios restritos, armas, objetos pontiagudos, plantas, animais, artigos perigosos e de valor, obedecem à normas específicas de países e companhia aérea.

Transporte
Locomover-se de metrô em grandes cidades no exterior ajuda bastante, mas poderá ser um grande transtorno se você não tiver um mapa do percurso. Retire o mesmo nas estações de metrô ou na recepção de seu hotel e estude o roteiro que deseja fazer com antecedência para não se perder ou perder tempo. Informe-se nas estações de metrô, bilhetes com tarifas reduzidas para estudantes e bilhetes com tarifas semanais e mensais, você certamente economizará bastante.

Reserve sempre dinheiro trocado e moedas para o transporte de ônibus, em muitos países não existe a possibilidade de troco dentro do veículo.

Check list
Use para não esquecer de nada antes de embarcar!

*Passaporte: verifique a data de validade
*Cópias de documentos importantes
*Visto de entrada do país de destino: verifique a data de expiração
*Autorização de viagem desacompanhada dos pais para menores de 18 anos
*Passagem aérea
*Confirmações de curso e acomodação: fique atento a data de início
*Voucher de hotel
*Voucher de aluguel de carro
*Guia turístico da cidade ou país de destino
*Identificação de bagagem, cadeados e bagagem de mão
*Carteirinha de Seguro Saúde Internacional: leia a apólice e verifique os telefones de contato e de emergência
*Cartão de crédito, travel checks, moeda corrente do país: lembre-se de levar dinheiro trocado
*Roupas adequadas ao clima do país de destino
*Remédios de uso pessoal: monte uma farmacinha com medicamentos de primeiras necessidades e com o que está acostumado a tomar. Lembre-se que medicamentos restritos devem ser acompanhados de receita médica.

Categories: Planejamento

MENORES VIAJANDO DESACOMPANHADOS DOS RESPONSÁVEIS

No Comments

 

Para viajar do Brasil para o exterior, o brasileiro menor de 18 anos que não estiver acompanhado de ambos os pais deve estar munido de Autorização de Viagem de Menor para o Exterior, formulário pelo qual seus pais permitem-lhe viajar:

  • em companhia de apenas um deles; ou
  • em companhia de uma outra pessoa; ou
  • sob os cuidados de companhia aérea/marítima
  • Quem pensa em viajar para o exterior com crianças ou adolescentes
    deve ficar atento às regras para autorização de viagens
    internacionais dos pequenos brasileiros.
    De acordo com a Resolução 131 do Conselho Nacional de Justiça  (CNJ), de 26 de maio de 2011, deve ser observado o seguinte: Crianças ou adolescentes que forem viajar
    acompanhados de apenas um dos pais ou
    responsáveis devem levar autorização por
    escrito do outro.
Categories: Documentos